quinta-feira, 2 de outubro de 2008

1974 - Samba é Isso Aí, Gente Bôa!



Lado 1:

1-Herdeiro (Antonio Grande) Intérprete - Antonio Grande
2-Fogão Jacaré (Joãozinho da Pecadora) Intérprete - Joãozinho da Pecadora
3-Xô Gafanhoto (Ivan Carlos-Luiz Grande-Rubens) Intérprete - Luiz Grande
4-Malandro é malandro mesmo (Otacilio-Ary do Cavaco) Intérprete - Bira Quininho
5-Estou de pé (Bom Bril) Intérprete - Bombril
6-Couro de Porco (Wilton Carreiro-Leo Costa) Intérprete - Leo Costa
7-Eneida Amor e Fantasia (Zuzuca) Intérprete - Bira Quininho

Lado2:

8-Malandro (Carolina Maria de Jesus) Intérprete - Léo Costa
9-Vou me Mandar (Monsueto-Telinho) Intérprete - Bira Quininho
10-Lágrima (Bira Quininho) Intérprete - Bira Quininho
11-Rapaziada (Zé Pretinho da Bahia-Antonio Moreira-Rubens) Intérprete - Bira Quininho
12-Chico Tristeza (Antonio Grande-J.Aragao) Intérprete - Antonio Grande
13-Canoeiro (Moa) Intérprete - Avam Samba
14-Menos Infeliz (Dinalva-FlavioKirk) Intérprete - Dinalva

Boa Noite parceiros de aprendizado! Demorei mas cheguei com mais uma brasa que o Mestre gravou com seu Cavaco de responsa. Durante as postagens colocaremos no blog muitos discos que, no coletivo, deixam a desejar. Não é o caso deste achado! Um disco gostoso de se escutar e que o Carlinhos vem bem à vontade.
Destaque para o samba Fogão Jacaré, partido alto com o selo de qualidade do Joãozinho da Pecadora, que, pra quem não conhece, era um compositor de primeira, partideiro nato do terreiro da Portela, ritmista da mesma qualidade e também bom solista com sua voz bem característica. Joãozinho também participou da histórica série de Partido alto Partido em 5 (e Partido em seis), com seis sambas, entre eles o clássico "Conversa Fiada".
O disco tem mais dois partidos, o "Malandro é malandro mesmo", samba diversas vezes gravado, em vários discos, e sempre com o Carlinhos no Cavaquinho. O inédito "Couro de Porco", que dá para ir longe versando.
Outro compositor presente no Lp é o Flávio Kirk, aquele mesmo do Salgueiro, que fez o samba "Reminiscências", sucesso no morro no final da década de 50 sendo incluído no disco "Samba nº2" do acadêmicos do Salgueiro (1959).

Sobre o Carlinhos, este disco contraria aqueles que comentam que ele não podia dividir o Cavaco com alguém. Em quase todas as faixas o Mestre vem dividindo o samba com outro cavaquinista Paraguaçú -Afinação tradicional ré-sol-si-ré-, exceto na "fogão Jacaré" que ele toca sozinho, e na "Lágrima", que ele não participa. Não posso afirmar, mas seria o outro Cavaquinho do Ary do Cavaco? Quem souber identificar melhor, por favor, me avisa.
O Malandro Carlinhos mostra uma sensibilidade muito grande tocando junto com o outro cavaquinista, palhetando ora mais baixo, ora um pouco mais alto. Ele entra em destaque quando necessário e nas outras circunstâncias deixa que o parceiro seja ouvido. Um exemplo muito bom é no samba "rapaziada", que ele fica a maior parte do tempo no Fá Maior e Dó com Sétima graves tocando mais baixinho, pincelando uma ou outra vez o Dó com Sétima agudo. Casou bem legal com o outro cavaco (parece até um cavaco de 5 cordas pelo alcance das oitavas).

ESCUTE A AULA!!

Um comentário:

samba disse...

Fazia tempo que nao visitava e agora to vendo que voce ta escondendo os pesados hein.....he he e e he he